Pelo sétimo ano consecutivo, a Noruega é considerada o país mais próspero do planeta. A constatação foi divulgada nesta semana pelo Índice da Prosperidade, produzido anualmente pelo Instituto Legatum, do Reino Unido, e que tem como objetivo investigar a prosperidade não apenas pelo viés econômico, mas também avaliando o bem-estar.

Para tanto, o Índice da Prosperidade estudou o desempenho de 142 países em oito categorias. Veja abaixo:

Categoria Colocação
Economia São avaliados aspectos como o tamanho do mercado de trabalho, as taxas de desemprego, a inflação e as expectativas para o cenário econômico do país.
Empreendedorismo e oportunidades São avaliados aspectos como os custos para se abrir uma empresa no país, os gastos em pesquisa e desenvolvimento e se o ambiente econômico do país é favorável aos empreendedores.
Governo São avaliados aspectos como a estabilidade do governo e a sua efetividade, a corrupção, a separação entre os poderes e o estado de Direito.
Educação São avaliados aspectos como a qualidade da educação escolar e superior e a relação aluno-professor.
Saúde São avaliados aspectos como a mortalidade infantil, os gastos per capita do governo com saúde, os leitos em hospitais e até a qualidade da água.
Segurança São avaliados aspectos como a quantidade de refugiados e deslocados internos e a violência política e urbana.
Liberdades individuais São avaliados aspectos como a tolerância em relação aos imigrantes e minorias e as liberdades civis.
Capital social São avaliados aspectos como as percentagens de cidadãos realizando trabalho social, as doações para entidades de caridade, os índices de casamento e até a religiosidade da população.

A partir da análise dessas categorias, o índice classificou os países no índice geral e também de acordo com a sua performance em pontos específicos.

O Canadá, por exemplo, está na 6ª posição no ranking geral e é o mais livre. Já Singapura, que está na 17ª, se destacou na economia. O Brasil está na 54ª e seu melhor desempenho foi na categoria de liberdades individuais. Foi incluído no final da matéria para fins de comparação.

Nas imagens, acompanhe quais países conseguiram ficar no topo do ranking.